My Cart
0.00
Loja

Máscara de Baçal

100.00

Máscara de silva e palha entrelaçadas.

2 em stock

Categoria

Descrição

O Careto de Baçal

Os fatos destes “caretos” são feitos de serapilheira e adornados por fitas coloridas. As suas máscaras podem ser de madeira, latão, cortiça, ou mais recentemente de palha. De um modo geral apresentam formas grotescas. A zona dos olhos é vazada, tal como a da boca. Em algumas máscaras são visíveis dentes. Saía à rua no dia de Reis, neste momento e depois de alguns anos de interregno foi revitalizado e saí no fim de semana depois do dia de Reis. Data em os rapazes que já não vivem na aldeia podem regressar e dar continuidade à tradição.

No primeiro dia da festa, que agora é o sábado, faz-se uma alvorada ao som da música tradicional, que pretende juntar todos os participantes na festa. Ocorre de seguida a “ronda das chouriças”, durante a qual se deseja bom ano e, simultaneamente, se faz um peditório. Todos os alimentos que os jovens recebem, geralmente de fumeiro, são colocados na vara dos mordomos. Na ceia continuam presentes apenas os rapazes, e o convívio continua pela noite fora, podendo todo o povo participar neste, inclusive as raparigas.

No Domingo, o dia principal da festa começa com a alvorada ao som da gaita-de-foles a fim de juntar todos os rapazes. À tarde acontece a crítica social, o ritual mais simbólico da festa. Estes são declamados, do cimo de uma fonte de pedra, perante todo o povo. Antes dos colóquios serem apresentados em praça pública é feita uma ronda, durante a qual aparecem pela primeira vez os “caretos”. O povo vai-se juntando e vão todos para um largo, no qual irão ser recitadas as loas também conhecidas por “comédias” ou “colóquios”, são quadras satíricas proferidas por um “careto”, em praça pública. Podem ser acompanhadas de representação teatral. No final de cada quadra os outros “caretos” gritam e saltam. Ao fim ao cabo, as loas são uma crítica social efectuada perante toda a comunidade que, apesar de apresentar somente uma função jocosa, pretende expurgar as acções feitas por elementos da sociedade que fogem à conduta social aceite.